Proatividade- essencial para o advogado do século XXI

John Pierpont Morgan foi um homem à frente do seu tempo. Há mais de 100 anos atrás já sabia que um advogado deveria ser mais do que simples comunicador de leis, mas sim um solucionador de problemas para que seus negócios produzissem mais lucros. Uma de suas frases mais célebres em relação ao exercício da advocacia foi:

“Eu não contrato advogados para me dizer o que eu não posso fazer o que eu quero, e sim para me dizer como eu posso fazer o que eu quero. ”

As Empresas hoje esperam por alguém que se antecipe aos problemas e apresente soluções e não um profissional que apenas “apague incêndios”, hoje o papel do advogado é fundamental para o crescimento de pequenas, médias e grandes empresas.

A verdade é que o dia-a-dia de um empresário, principalmente de pequenos e médios, se transforma em uma verdadeira maratona, muitos acumulam diversas funções, e inevitavelmente adiam a contratação de uma consultoria jurídica por falta de tempo, por acreditar que esse é um custo e não um investimento, por não se darem conta de como isso é vital para o crescimento saudável do seu negócio.

Resultado? Acabam perdendo dezenas, em alguns casos, milhares de reais simplesmente por não se precaverem com medidas simples que poderiam ter evitado uma série de problemas, e o pior, que geram uma grande perda financeira e um gigantesco problema emocional.

Deste modo, é imprescindível a advocacia preventiva ao empresário, de modo proativo e que vise criar um relacionamento pautado em ações que venham contribuir para o crescimento, desenvolvimento e proteção das empresas, sendo, portanto, a advocacia preventiva ou o advogado do século XXI uma ferramenta essencial para a vitalidade da empresa atualmente, senão vejamos alguns pontos:

1 – Redução nas perdas financeiras;

Um dos principais diferenciais para pequenas e médias empresas é que com as medidas preventivas tomadas, os resultados acabam sendo demonstrados através de números, seja com a redução de ações trabalhistas, efetividade nas cobranças, revisões e renegociações de contratos e muitas outras tarefas exercidas por profissionais especializados.

Qual Empresa não anseia por um setor jurídico eficiente a disposição para estar na linha de frente guerreando por seus interesses?

2 – Controle de custos

Com a contratação da advocacia preventiva é possível calcular o investimento mensal necessário. Em muitos casos são cobrados valores durante todo ano que sequer alcançariam o valor de uma consultoria ou de uma defesa em um processo trabalhista.

3 – Proteção Patrimonial da Empresa

Da mesma forma, a consultoria consegue elaborar planos e emitir pareceres verbais e/ou por escrito que protegem o patrimônio da Empresa. Menos gastos, menos custos, mais investimento e consequentemente mais crescimento.

4 – Menos desgaste emocional

Com menos problemas surgindo, menores serão as chances de os problemas surgirem e o melhor caso apareçam, a Empresa terá a representação de advogados sem que para isso tenha que desembolsar valores.

5 – Melhor organização Empresarial

Com menos questões a se preocupar e com maior segurança no desenvolvimento nos negócios a Empresa consegue reorganizar setores e funcionários para funções que realmente venham gerar lucro para Empresa.

Assim, podemos concluir que a proatividade é fator inovador e que viabiliza não somente a prevenção de perdas e danos para as empresas, mas garante ganhos diretos e indiretos, devendo ser este o papel do advogado do século XXI.

Artigo do Sr. Fábio Cesar Pereira Junior
Estagiário de direito do Escritório Morizzo e Nascimento

Deixe um comentário